Donderdag, 20 Junie 2013

E DAS FAVELAS BRASILEIRAS DESCEU UMA ONDA DE INDUSTRIALIZAÇÃO NA GRANDE SÃO PAULO DESDE AS INDÚSTRIAS LÍTICAS NEOLÍTICAS ATÉ ÀS QUÍMICAS DA QUARTA DE SULFÚRICO PARA TRÊS DE GASOLINA ENGARRAFADA

Analisando levemento o texto dos cães de alcains como diria um etnographo alures no início do XXº

Fazendo comparações com o resto da Europa,  a Albânia continua a ser um deserto industrial e se é esta que interessa, porque foi a primeira região industrial no Mundo, então a américa que foi a segunda superou-a apenas devido às guerras?

 Portugal no sentido lato industrializou-se tarde, a indústria lítica e das cerâmicas é muito mais tardia em portugal  e se calhar por ser tão tão tarde que o sector industrial nunca foi o principal sector ou setore da economia portuguesa.
nunca teve uma indústria que apoiasse o sector mineiro tirando as pirites alentjanas e os belgas

nunca teve uma indústria porque os monopólios industriais estiolaram a creação?


Primeiro, diz o tal intitutrix foi a agricultura pois as pessoas sem comida geralmente morrem e a economia curiosamente também.... provavelmente primeiro foi a caça e a recolecção de manjares mas enfim o home é estudioso logo 1º agricultare depois filosofare

 e depois, logo a seguir, os serviços, meninas de bragança, venda de pedra lascada, polidor de pedra pouco polida, assador de bisontes esquartejador de mamute e similares como vendedor de pau pra toda a pedra e limpador de paus pouco polidos

serviços mas de uma forma marginal pelo que é mais uma curiosidade como as creadas e os seus amores soldadescos

ser soldado faz parte do sector dos serviços é como socrates que cu rompia a juventude de Athenas é do sector dos serviços


O pico da industrialização chegou analmente (nos) anos 70/80.

Desde então, o peso da indústria na economia tem decrescido, mas mais lentamente do que no resto da Europa, que, hoje em dia, é uma economia de serviços.

No PIB europeu, em média, 80% são serviços, 3 a 4% agricultura e 16% indústria. É este o padrão e já estamos a entrar numa fase em que é insuficiente
a divisão agricultura-indústria-serviços.

Há dias, uma pessoa que, num banco, disse-lhe que os bons projectos agrícolas hoje em dia são os que começam a análise do projecto na comercialização. O que é que o consumo precisa, o que é que o comércio necessita, que tipo de produtos é que é mais fácil colocar e, a partir daí, partir para a terra e cultivar essas produções.

no caso da cortiça é só esperar uns 50 anos

no caso das couves de bruxelas é só esperar pelas eleições

o problema é quando não chove ou chove demais

é o problema da agricultura

o da pecuária são o tamanho das gaiolas das galinhas e das gripes

e dos cavalos que opinam sobre agricultura mas nunca prantaram um nabo...

além do deles claro...